Segunda-feira, 11 de Junho de 2007

COMUNICAR COM SURDOS

Entrei no mundo dos surdos há um ano e tal e foi a descoberta de um mundo inteiramente novo, com códigos próprios, com formas diferentes de comunicar. E descobri, da maneira mais dura, mas sem dúvida mais eficaz, as dificuldades por que passam diariamente as pessoas surdas / com deficiência auditiva para comunicarem com os ouvintes, isto é, para se fazerem entender por eles e para compreenderem o que eles dizem.

 

Passei e passo por situações ora caricatas, ora frustrantes, porque a maioria das pessoas não sabe como comunicar connosco: há quem grite de tal maneira que não se percebe uma palavra e os nossos ouvidos são violentamente agredidos; há quem repita o que disse anteriormente em tom monocórdico; há quem não faça um esforço para nos dar a entender o que diz (felizmente tenho encontrado poucas pessoas assim).

 

Por isso, aqui estão alguns conselhos para comunicar com pessoas surdas (com surdez total, profunda, severa, moderada, leve...) / com deficiência auditiva:

  • Chame a atenção da pessoa, através de gestos, por exemplo, antes de começar a falar.
  • Elimine os barulhos de fundo, se possível, fechando portas e janelas e não falando no meio da barulheira.
  • Mostre a sua cara enquanto fala, com a boca bem visível e de frente para o surdo.
  • Fale claramente, num ritmo regular, sem exagerar a articulação e de forma natural.
  • Use um vocabulário simples e frases claras, evitando utilizar abreviaturas, termos de outras línguas e palavras com duplo sentido.
  • Utilize outras palavras se perceber que não foi compreendido.
  • Escreva os nomes próprios, os termos técnicos, médicos, etc, e assegure-se de que a  pessoa  os compreendeu.
  • Se possível e necessário, recorra a meios técnicos (fax, telefone para surdos) e a Intérpretes de Língua Gestual (mas não se esqueça que muitas pessoas com deficiência auditiva adquirida  em idade adulta não conhecem a LGP).
  • Não mostre aborrecimento por ter de se esforçar para ser compreendido! Não se esqueça que é um privilegiado e pode ouvir! Nós nem sempre, ou nem sempre compreendemos o que ouvimos, ou levamos mais tempo a discriminar o significado dos sons, ou não conseguimos ouvir nada.
  • Não tenha pena de nós - nós é que teremos pena de si se não quiser fazer um esforço para se fazer entender, porque significa que desconhece que não pode viver sozinho e que os laços que criamos com os outros através da comunicação (e ela  concretiza-se através de tantas formas!) são essenciais para a vida em comunidade.

Obrigada!

Tou...:
Rabiscado por... misal às 19:14
link do post | Adicionar aos favoritos
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Nada sobre mim

Procurar agulha em palheiro...

 

Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

...

DE LUZ E DE SAL

Abraço

Sábado, 24 de Abril, Sant...

Dia das Doenças Raras

Vencer, apesar do medo...

O hoje e o agora...

E bom Natal!!!!!!!!!!!!!

Desistir...

Ousar ser diferente

Baú de memórias...

Abril 2014

Dezembro 2011

Novembro 2011

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

tags

todas as tags

A escaldar...

Abraço

Dia Mundial da Música I

«Porque a deficiência não...

Ver, rever e (con)viver.....

Coganitos...

Hoje é o dia!

Momentos perfeitos

Tesouros...

Da voz das coisas

links