Quarta-feira, 1 de Outubro de 2008

Heróis...

Para todos os pequenos-grandes heróis que conheci ao longo da minha vida, para aqueles que reencontro ou não, para aqueles que agora estou a conhecer e que todos os dias tentam ir um pouquinho mais longe, sem desistir, sem parar quando os obstáculos surgem e que vencem as lutas diárias e ainda têm o coração grande para nos acarinhar quando nos encontram e percebem que não estamos bem!

Para a minha Formiguinha, para a minha Pulguinha, para a minha Bruninha, para o meu Ricardo, para tantos e tantos meninos que conseguem sorrir, apesar de tudo...e que hoje reencontrei na figura do «meu» Yasha, menino-homem tão longe de casa, tão longe de todos e que me abraçou muitas vezes,  espontaneamente e também a meu pedido, do alto do seu metro e oitenta (será??) e me disse ainda com um bocadinho de sotaque «graças a Deus que não é cancro que tem»... ele que ficou só porque o cancro lhe levou a sua última âncora, num país que não era o dele!!!

Para todos aqueles que «voam até onde a alma os leva»...

 

 

OS HERÓIS NESSE INSTANTE

 

Os heróis não têm pequenos negócios,

nem expedientes obscuros que os sustentem.

Nascem e vivem para o êxtase da glória

sem saberem que é dessa matéria que são feitos.

Têm vidas iguais a todas as outras vidas:

sem história, sem fulgor, sem rasgo.

Poderíamos contá-las com uma frase apenas,

do género: nasceu aqui, teve esta profissão,

dois filhos do sexo masculino, depois

morreu na idade em que já nada

pode tornar a morte inesperada ou insultuosa.

 

Um dia, a centelha derrama-se,

num espasmo de luz, sobre as suas cabeças,

como um relâmpago ou uma inspiração divina.

despem a roupa decente da banalidade

e agigantam-se até à loucura total,

até à infinita dádiva, até à loucura.

Para trás deixam trincheiras ensanguentadas,

corpos mutilados, gente abismada

pela evidência brutal de tamanha coragem.

Tudo deixa de contar para eles: a vida,

a família, o emprego, os bens terrenos.

Têm asas de anjos sob os casacos cinzentos

e voam até onde a alma os leva.

Os heróis triunfam e morrem nesse instante.

 

José Jorge Letria, O Livro Branco da Melancolia

tags: , ,
Rabiscado por... misal às 00:45
link do post | «Li e penso de que...» | Adicionar aos favoritos
1 comentário:
De Borboleta_A a 1 de Outubro de 2008 às 22:41
Heróis são os oferecem um sorriso mesmo quando se torna difícil fazê-lo. Que oferecem um abraço sem nada exigir em troca...

Comentar post

Nada sobre mim

Procurar agulha em palheiro...

 

Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

...

DE LUZ E DE SAL

Abraço

Sábado, 24 de Abril, Sant...

Dia das Doenças Raras

Vencer, apesar do medo...

O hoje e o agora...

E bom Natal!!!!!!!!!!!!!

Desistir...

Ousar ser diferente

Baú de memórias...

Abril 2014

Dezembro 2011

Novembro 2011

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

tags

todas as tags

A escaldar...

Abraço

Dia Mundial da Música I

«Porque a deficiência não...

Ver, rever e (con)viver.....

Coganitos...

Hoje é o dia!

Momentos perfeitos

Tesouros...

Da voz das coisas

links

Estou no Blog.com.pt PT Bloggers a directoria de blogs Portugueses

Bisitas

blogaqui?

Ecos

Bisitas onlaine

online

Lugares dos sons

ImageChef.com - Custom comment codes for MySpace, Hi5, Friendster and more